Pedro Stanke – Bonsai

Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

Bonsai no Japao – Matéria realizada pela Revista Alternativa do Japao

Matéria realizada pela Revista Alternativa do Japao.
Por Matsuo Sato, em 17 de julho de 2008.

A arte miniaturizar plantas é uma terapia e ganha adepto brasileiro em suzuka.

A arte de fazer árvores-anãs ganhou popularidade mundo afora com o filme Karate Kid. Hoje o bonsai ganhou a simpatia de brasileiros, como Pedro Fernando Stanke, 38 anos, que conheceu a arte há 11 anos, em Campo Grande (MS), ao ganhar um exemplar de sua esposa nikkei. Ao vir ao Japão, há três anos, ele deixou uma coleção com 80 exemplares.

Stanke aproveitou sua estada no arquipélago para ser aprofundar nos conhecimentos. “Há dois anos e meio estou aprendendo os segredos para fazer bonsai”, conta ele, que estuda com o professor Shigeyuki Ota, proprietário do ateliê Yamataen, situado em Suzuka (Mie). O brasileiro também trabalha em tempo integral nessa escola-ateliê.
 
 Um bonsai demora de 30 a 40 anos para atingir um estágio considerado pelos especialistas como “pronto” ou “terminado”. É nessa fase que os três primeiros galhos, a partir de baixo, já atingiram o tamanho e a conformação planejados.

Existem no Japão bonsais com mais de 800 anos, o que significa que uma mesa planta passou nas mãos de diversos artistas, evoluindo de geração em geração, sofrendo transformações e mudanças visuais. Por essa razão, existem bonsaistas famosos. Porém esses exemplares centenários, verdadeiras obras de arte, não levam o crédito de seu autor.

Com origem na China, o bonsai inicialmente usava ervas medicinais como forma de dispor de remédio nas proximidades. Posteriormente trazido ao Japão, foi evoluindo para as formas atuais. Foi aqui que a prática de miniaturizar as árvores passou a ser considerada uma arte, com o objetivo de retratar a natureza em pequenas dimensões.

Bonsai significa literalmente “cultivar em bandeja”, e foi aqui no Japão que se tornou uma forma de expressão artística e uma fonte inesgotável de inspiração e meditação. O cultivo do bonsai é um eterno namoro entre o homem e a natureza, no qual a harmonia integrada entre ambos se torna um único ser, sem sujeito nem objeto.
                                                                                              Esse no centro é Ota-san, na exposição de bonsai de Suzuka.

 
Viajem a Suzaka, em Nagano

                                         Oota-san e eu no trabalho